quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010


Embreagado no sonho que acabara de passar na sua frente ele senta-se no sofá e pensa. Ela ainda confusa com o que havia acontecido, pensa no que já passou, no sofrimento da primeira vez que ele partiu. Ele está aflito, não sabe bem certo o porque de ela ter saído daquele jeito. Ela chega em seu apartamento, joga a bolsa no sofá, os sapatos no canto da escrivaninha e vai para seu quarto, se joga na cama e começa chorar. Ele ainda sentado no sofá, sente uma lágrima escorrer dos seus olhos, traçar o desenho do seu nariz, delinear a sua boca, escorrer pelo seu queixo e cair entre seus dedos que se encontram enlaçados um no outro. Ela sente que o que fez foi o melhor, mas logo em seguida nota-se o sentimento de arrependimento, e pega seu celular. Ele deita no sofá e ali adormece. Ela pensa em ligar. Ela disca o número dele. Ele desperta com o toque do celular. Ela dá de cara com o celular ocupado. Ele percebe que a voz não é estranha, e logo em seguida se dá conta de quem está no outro lado da linha. Ela desiste na primeira tentativa, e leva esse sinal de ocupado como um sinal para não ligar. Ele está falando com sua noiva no celular, ela diz sentir saudades e pergunta como vão os negócios.
[Capítulo 3]

2 comentários:

Flavih Jones disse...

Estou adorando a história. Sempre querendo saber do desenrolar da coisa.
=D

Beijoo

Rafael disse...

muito bonicto.